quinta-feira, 7 de abril de 2011

Blogagem Coletiva: CULPA ZERO

Ainda estou me adaptando a esse novo pensamento CULPA ZERO, mas acho que estou evoluindo.
Sou separada há 11 anos e há 11 anos que crio meus filhos (um de 20 e outro de 18 anos) sozinha, pois o pai nunca colaborou e resolvi não brigar por isso.
Trabalho na Prefeitura de São Paulo, mas antes disso, trabalhava no Hospital do Servidor Público das 07h às 16h. Acordava todo dia às 4h00, preparava o almoço dos meninos e deixava os pratos prontos para que os aquecessem no microondas. Deixava um despertador que tocava sempre que eles precisassem fazer algo como almoçar, tomar banho, se trocar para escola, pois eles era pequenos e me senti uma droga por ter de deixá-los para trabalhar fora, mas foi uma época mega divertida, pois nos comunicávamos por bilhetinhos. Eu não tinha celular e os bilhetes fixados na geladeira faziam a vez dele! A noite, quando chegava, cuidava das roupas, adiantava a janta (almoço), auxiliava nas lições e ainda tinha que lidar com um filho com síndrome do Pânico. (ainda bem que já estava controlada).
Minha maior culpa nem foi a casa, sua limpeza ou os afazeres domésticos, mas a impossibilidade de dar aos meus filhos tudo o que eles queriam. Tentava dar tudo o que precisavam, mas nem sempre o que queriam. Mesmo assim, fiz o melhor que pude.
Em 2006 meu primogênito ficou internado na UTI com parada respiratória em virtude da asma (um post que estou protelando para escrever, pois foi um dos momentos mais difíceis de minha vida e recordá-lo me assusta muito). Foi quando desenvolvi a Artrite Reumatóide, uma doença puramente somática que inclui culpa e punição ao mesmo tempo. Eu ainda tenho esta doença e suas crises muitas vezes são bem doloridas.
Hoje eu ainda sofro com algumas culpinhas que ao longo dos anos são distribuidas pelas minhas articulações enrijecendo-as, mas tenho melhorado muito.
Meu filho mais velho já trabalha e faz faculdade com seu próprio esforço.
Meu caçula está em fase de exército, mas tem uma entrevista de emprego para amanhã.
Ver que meu trabalho e esforço formaram dois homens que começam a andar com as próprias pernas é edificante! Maravilhoso mesmo!
Aquele lema: Filhos criados, trabalhos dobrados, ainda se aplica pois filhos são eternas crianças aos olhos das mães e sempre corro para socorrer um deles que esteja em apuros, mas isso é o gostoso!
Tenho que lidar ainda com situações difíceis mas não intransponíveis. Tenho me dedicado a ter meu tempo e meu espaço. Dar atenção ao meu corpo, às minhas necessidades, aos meus delírios. Tenho ainda caminhos a percorrer, mas sempre serão percorridos com fé e orgulho por tudo que já conquistamos até aqui.
Beijos a todos!!!

13 comentários:

soniaconslt disse...

Se alguém tem culpa nesta história é o teu marido por nunca ter te ajudado!
Agora tu merece um troféu!
E o oscar vai para....
Menina, estás de parabéns, sou tua fã.
Bjos querida

Anônimo disse...

Miroca!!! Não tem que ter culpa! Eu falo isso pra vc, mas tb serve pra mim, pois é quase a mesma situação, mesma estória.
Vá cuidar de vc, pq eles estando criados ou não, vc tem que evoluir com tudo que passou, mas tem que se cuidar, se amar, pra ser amada.
Agora é tempo de acalmar os pensamentos e realizar o que vc tanto quer.
bjks da Céci

soniaconslt disse...

Amorzinho, tu tens que colocar o teu link lá nos comentários da Elaine gaspareto, e dai ela coloca o teu blog na lista....
Vai chover coments por aqui, corre menina!
Quanto aos teus projetos futuros posso te ajudar em um - vou ajudar a conseguir 100 seguidores.
Neste eu posso ajudar.

Carla Farinazzi disse...

Oi Míriam,

Você merece os parabéns e também um forte abraço (sinta-se abraçada), pela coragem, pela luta diária ao longo desses anos, pela dedicação e pelo enfrentamento de tantos problemas e desafios.
Olhar pra trás e perceber o dever cumprido, o trabalho feito, a superação... isso é tão bom!

Beijos

Carla

cristiane aguiar disse...

Desejo culpa zero pra vc, pela sua estória creio que seja uma super mulher, que não tem pq sentir culpa!
Desejo sucesso para o filho na entrevista de amanhã :)

Anne Lieri disse...

Miriam,os filhos são mesmo uma coisa!Sempre nos achamos mães ruins...rsss...eu tenho só uma moça de 16 anos e tb sempre acho que fico a dever!Vc está bem mais libertada da culpa do que eu...mas chego lá tb!Adorei seu texto,aberto,verdadeiro e tocante!Bjs,

Myriam disse...

Miriam, tua história é exemplar, e, como toda mãe , és guerreira e corajosa! Parabéns por seguir em frente , Parabéns pela oportunidade de ser mãe, Parabéns Miriam, por ser verdadeira! Bjs

soniaconslt disse...

Bom dia!
Indiquei o teu blog para um selinho literário.
É opcional contar os livros que lê, ok?
Como eu não fiz um post, somente indiquei os amigos.
Bjus

Rabiscando Poesias disse...

Culpa zero anjo...Beijos e muita luz , to seguindo teu blog

Luiz Carlos Amorim disse...

Ponto pra você, menina, que você merece. Eu também tenho duas filhas que são adultas e estão construindo a vida. É bom essa sensação de dever cumprido, mas elas continuam sendo as nossas meninas.
Obrigado pela visita nomeu Crônicas do Dia. Volte sempre.
Grande abraço do Amorim

Vanessa disse...

Miriam, eu, mãe de um pequenino de 3 anos, fico sonhando em vê-lo aos 20 anos, forte e " sacudido" podendo olhar pra trás com orgulho como vc faz. Culpa? Fica bem pequena diante de um trabalho assim bem feito.

beijos e muito obrigada pela visita ao Mãe é tudo igual!

soniaconslt disse...

Eu tenho, e nesta estamos empate..srsrs
Tbm não fuxiquei para aprender a mexer.
E a (palavrão) não é em português!
Eu tenho
* facebook
* orkut
* msn
* you tube
Estes já me sinto em casa
Mais o outro acredito que vai demorar....srsrs
vou te enviar um convite do facebook

✿ chica disse...

Realmente culpa zero pra ti.Nenhum motivo! Que bom te conhecer e foi bom quye foste me chamar, vinda da Sonia! um beijo,tudo de bom,chica