terça-feira, 29 de março de 2011

Repensando a vida!

Ontem eu não fui trabalhar, estava dodói! Fiquei em casa de pernas pro ar esperando o tempo passar e a febrinha diminuir... Aproveitei pra me permitir ficar jogada desleixadamente no sofá e assistir um monte de baboseiras na televisão. Depois de um bom tempo, resolvi que precisava lavar e passar as camisas que o meu filho Lucas terá de usar essa semana. Logo em seguida me joguei novamente no sofá e pedi pro Tiago baixar o filme "Eu te amo, cara" (uma comédia muito legal!) pra gente assistir a noite. De jantar fiz uma macarronada, pois é fácil e rápido! Tomei um banho bemmmm longo e gostoso e fiquei de camiseta perambulando pra lá e pra cá no meu ap. pensando no que fazer. Foi quando me vi pensando no telefonema da Mamá! Ela ligou logo cedo pra saber como eu estava. Contei-lhe da crise de artrite que acabou comigo e das dores insuportáveis no ombro esquerdo e ela mencionou do peso que eu devia estar carregando nas costas. Isso porque a psicóloga sou eu, né? Mas, como diz o ditado: "Santo de casa não faz milagre" é a mais absoluta verdade. Eu posso ter todo o conhecimento do mundo, mas nada disso me valerá quando os problemas atingem a mim ou a alguém de minha família! Digo isso de carteirinha. Atendi muitas pessoas acometidas com a Síndrome do Pânico e tive excelentes resultados no tratamento delas, mas quando meu filho começou a manifestar os sintomas dessa sindrome, eu praticamente fiquei cega! Não enxerguei nada! Não via doença nele, muito menos algo que pudesse estar afetando sua psiquê! Conclusão, tudo o que eu não poderia fazer nos casos de síndrome do pânico, eu fiz ou permiti ao meu filho. Estava completamente cega. Precisou uma amiga minha vir me visitar para clarear as minhas idéias e me mostrar tudo que eu fazia de errado. Foi quando mudei meu tratamento com o Lucas e ele começou e recuperar o equilíbrio! Mas demorou, viu? Por este motivo que eu acredito muito nessa frases "Santo de casa não faz milagre" e "Em casa de ferreiro, espeto é de pau", porque todo nosso emocional nos cega de tal forma que ficamos absolutamente burros diante de algumas situações. Quando a Mamá me falou sobre "peso nos ombros", comecei a chorar feito criança. Deu aquele "insight", sabe? Aquela ficha que cai. Aquela luz que acende. Enfim, percebi o quanto ela estava certa e eu cega. Claro que to carregando muito peso no ombro. Filho na faculdade, outro filho prestes a entrar, despesas extras que não foram contabilizadas no início do mês o que fez com que meu cheque especial ficasse literalmente de lingua de fora. Passo os dias fazendo contas de subtração, pois de adição está impossível! Aliás, fazer contas de subtração quando o minuendo e o subtraendo já estão negativos é de ARRASAR!!! Começo a entrar naquela fase: "Mamãe! Pare o mundo que eu quero descer!".
Qual é?! E eu? E minhas necessidades?? Até onde eu vou sem dar um tempo pra mim e pra minhas coisas? Será justo eu ficar me doando, doando, doando até cair doente em uma cama, faltar no serviço e gastar o que eu já não tenho com remédios? Peraí! Tem algo errado! Tá na hora de começar a pensar mais em mim. Nessas horas, tem um cara que é muito legal! Ele nunca me faltou pois quando tudo parece estar perdido, surge aquela luzinha no final do túnel que diz: "Tenha paciência... As coisas vão melhorar. Só esperar um pouco mais que tudo se resolve."
Então sai publicado no DOC um decreto com gratificação para servidores públicos. Tudo bem. Não vai vir agora. Provavelmente sairá na folha de maio, mas virá o que já é alguma coisa, concorda?
Nesse interim, vou fazer uma lista das MINHAS PRIORIDADES! Das coisas que devo FAZER POR MIM. E conto com a cobrança de todos vocês para que eu comece a valorizar a única pessoa que eu sempre esqueço de pensar, mas que é a única com quem eu posso e devo contar: EU!
E TENHO DITO!!!

5 comentários:

Ricardo Roehe disse...

Obrigado por me seguir no http://maustratosaoidosodenuncie.blogspot.com
Fico feliz que tenha gostado da minha proposta de ajudar os idosos a ter uma vida mais digna.
Parabéns pelo blog, já sou seu seguidor.
Abraço fraterno e Muita Luz em seu caminho.

Élys disse...

Agradeço a sua visita e também vou segui-la, seu blog está muito bonitdo.

A vida é assim mesmo, as dificuldades nos ensinam a caminhar, porém é preciso traçar prioridades para ficar mais suave.
Beijos.

Paula Li disse...

DEpois que li seu a postagem fiquei pensando em como algumas pessoas são de extremos: conheço mães que não dão a mínima para os filhos e tem algumas que dão tudo. Acho que o cerne de todas as questões esta no equilibrio.
Espero que você encontre o seu. Batalhe pelos seus filhos, mas sem esquecer de você.
Bjs

Miriam Rose disse...

Ricardo: Os velhinhos são pessoas muito especiais pra mim e eu os amo de todo coração! Sempre que posso tiro fotos desses casaizinhos tão fofos que ficam ainda de mãos dada depois de tanto tempo de união! Vou batalhar muito para seu blog crescer. Um grande abraço!!!

Élys: vou seguir seu conselho e traçar prioridades, estou otimista e acho que tudo vai dar certo, mesmo que não seja de imediato! Obrigada e um beijo!

Paula Li: Você falou tudo. A palavra chave é "Equilíbrio"... a balança está pendendo demais pro lado deles... Vou recolocar os pesos em seu devidos lugares! Um beijo

soniaconslt disse...

Olá Miriam!
Sumi, né?
Desculpa.
Prometo, não vai mais acontecer mais.
Adoro tomar um banho e ficar andando pela casa...
me jogar na cama e ficar trocando, trocando de canal...que delícia!